Páginas

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

O choro da estrela...

A chuva pinga orvalhada dos caibros e das calhas
Como acordes de infinitude que bramem sons de mogno
De cítaras longínquas, enquanto o homem, daninho
Segue caricaturando as falhas de viver sem sentir
O sabor de uma estrela que chora sobre todos nós.

By: Bruno

Nenhum comentário:

Postar um comentário