Páginas

quinta-feira, 18 de março de 2010

sóbrio
eu nao quero ser o cara que ri o mais alto possível
aquele que não consegue ficar sozinho
não quero mais ficar até as 4h da manhã
o único que não estará em casa a essa hora

o sol está me cegando....
não consigo dormir de novo
eu estou descobrindo...
não é assim que a história deve acabar

eu não quero ser o cara que preenche o silencio
por que eu sinto que a festa vai acabar?
o silêncio me assusta por que ele grita a verdade

não me fale que tivemos aquela conversa
pois a única coisa que vou lembrar é do sabor da embriaguês
então guarde o seu folego para outra hora

não é assim que a história deve acabar
girando girando
me procurando sóbrio
e sem ninguém
não é assim que a história deve acabar...

By Bruno

domingo, 14 de março de 2010

sexta-feira, 12 de março de 2010

Gênio

Poesia nova!

Este sentimento negro está bloqueando minha mente
preciso de tempo para pensar
qual será meu próximo passo?
a verdade lá fora existe apenas para que eu possa me esconder?
Qual é o sentido disso tudo?
não posso pensar enquanto esses sentimentos bloquearem minha razão
onde será que encontro razão por traz de toda essa sanidade?
será que vale a pena correr o risco de ser normal ser seduzido por essa onda?
Não procuro a razão por motivos fúteis
apenas fujo dessa realidade caótica
a procura de um lugar que eu possa chamar só meu
"lar", nunca usei essa palavra...
com que sentido os normais se apegam a este mundo?
toda vez que olho para o céu, refletindo sobre minha posição nesta distorção
penso que poderia abrir mão disto que chamo de meu, em busca de algo maior
mas toda vez que chego perto de uma solução,
não vejo meios de alcançá-la e me perco novamente nesse terrível sentimento
por que?

Amo ela!



Parallel Lines