Páginas

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ode à riqueza e à corrupção

Poderia eu viver só de physalis?
Poderia eu viver só de potes e mais potes
de sorvete de chocolate?
Se eu tivesse todo o dinheiro do mundo
sim, fadas me cobririam com seu véu promíscuo de seda
feita e comprada de pequenos anões que temem serem deportados
Estaria eu ajudando o trabalho escravo dessas pequenas criaturas? Bom eu poderia comprá-las de vez
Usaria elas em meus pequenos mimos diários ou as daria de alimento ao gato
Sei que faria minhas necessidaes em um toilet de ouro maçiço, sendo só eu seu usuário
Esta loucura não tem fim, afinal estou bebendo
Meus dedos não ligam para a métrica, apenas vomitam voluptosamente palavras incoerentes
Não, não sou vagabundo, apenas ganho dinheiro dormindo
Escrevo quando quero, como quero, não ligo de ser subversido, alienador
Afinal as mentes humanas das massas que optaram por serem alienadas, então lhes até faço favores
Alimentando seu pequeno intelecto com meus devaneios literários
Sim, sou a mente por trás do dinheiro, da corrupção e de todo o capitalismo
Não sinto nada, apenas consumo e consumo
Não há fim, não é necessário haver paz
Só é necessário que eu ganhe dinheiro
É só o que importa!

By: BRuno

Nenhum comentário:

Postar um comentário