Páginas

sábado, 22 de agosto de 2009

Crônicas maternas

Durante alguns anos,não me lembro quantos, numa época que na casa não havia Google e nem ainda tinham inventado o twitter, todas as noites, o menino pedia notícias da bruxinha. Morava ela numa densa floresta, abandonada pela tia má, plantava o que comer e era feliz. Todas as noites falávamos de suas peripécias, de sua vida sofrida mas feliz. Hoje o menino cresceu e a bruxinha continua levando sua vida sozinha e ele nem se lembra mais da sua existência...

continua...

Um comentário: